Skip to content

Curiosidades

 

Curiosidades sobre Jateamento

Um pouco de história
Jateamento começou com a formação da terra. Os primeiros ventos arrastaram areia (jato seco) e os mares e rios projetavam água com partículas em suspensão sobre as rochas (jato úmido). Um exemplo típico é o desgaste da esfinge agredida pela areia do deserto, além do “canhonaço” que lhe destruiu o nariz, nos tempos de Napoleão, o que, de certa forma, também é uma espécie de jateamento.
Em termos industriais, o marco inicial da evolução do processo de jateamento pode, merecidamente, ser creditado a Tilghman que em 1870 requereu a primeira patente a ele relacionada.
Curiosamente, a idéia lhe ocorreu observando a marca da grade sobre uma vidraça depois de uma tempestade de areia. A primeira aplicação prática que imaginou foi a gravação de letras em lápides de granito, utilizando máscaras. Esse mesmo Tilghman requereu, sucessivamente, patentes de granalha de aço, turbinas e outros aperfeiçoamentos, podendo-se dizer que ele, praticamente, esgotou o processo de jateamento, deixado para as gerações futuras apenas a responsabilidade de aperfeiçoá-lo.

O grande impulso para o desenvolvimento desse novo recurso industrial está associado à uma batalha naval durante a Guerra Civil americana, acontecida alguns anos antes (1862). Os navios de construção metálica, Merrimac, Confederado, e Monitor da União, mantiveram uma prolongada batalha que demonstrou a enorme superioridade dos cascos metálicos sobre os de madeira, provocando uma revolução na construção naval. A Inglaterra, inclusive, rapidamente trocou a sua armada, mantendo a sua hegemonia dos mares.

Os problemas previsíveis de manutenção, levaram ao emprego extensivo do jateamento com areia, incentivando o desenvolvimento de novos recursos e de compressores de maior capacidade.
Outro fator que influiu decisivamente para o progresso do jateamento foi a identificação de uma doença pulmonar provocada pelo pó da areia, denominada SILICOSE. Ela representava uma barreira para a aceitação do processo na área industrial. Começaram, então, a serem pesquisados e desenvolvidos, outros materiais naturais ou artificiais que não oferecessem o mesmo risco. Seus custo mais elevado, exigiu processos de recuperação, reciclagem e purificação cada vez mais elaborados, abrindo novos amplos campos de aplicação, transformando o primitivo e rústico processo original na sofisticada ferramenta industrial hoje disponível.