Skip to content

Materiais para Jateamento

Materiais para Jateamento 1Materiais para Jateamento 2

 

Materiais para Jateamento 1ª parte

O primeiro passo para especificar uma operação de jateamento é a seleção correta dos
materiais a serem empregados.
A seguir são dadas as principais características
dos mais usuais, disponíveis no mercado brasileiro.

ESFERAS DE VIDRO: Suas características físicas (forma esférica, densidade elevada, dureza e resistência) e químicas (material inerte, não reagindo com a grande maioria das substâncias) lhes reservam um lugar de destaque entre os demais produtos usados para jateamento, São empregadas para limpeza, acabando acetinado de grande beleza, desrebarbamento de precisão, gravação ou decoração e são insubstituíveis para “shot peening” com baixas intensidades. Praticamente, não são abrasivas, o que lhes abre um gigantesco campo de aplicação antes vedado ao processo. Limpar um carburador, desrebarbar agulhas hipodérmicas (são usuais esferas de 40 micros de diâmetro que passam cinco, uma ao lado da outra, no furo de uma agulha fina), limpar moldes em geral, “shot peening” em ferramentas de corte ou palhetas de turbinas de aviação e muitas outras importantes aplicações passaram a ser viáveis com as esferas de vidro.

GRANALHAS DE AÇO ESFÉRICO (“SHOT”): São fornecidas em varias especificações. São empregadas para eliminação de rebarbas maiores, para alguns casos de limpeza e acabamento e também indispensáveis para “shot peening” com grandes intensidades. Os custos operacionais são pequenos pela sua grande durabilidade (300 a 400 ciclos) e por serem pouco abrasivos.

GRANALHAS DE AÇO ANGULARES (“GRIT”): É o material mais empregado para limpeza em geral e preparação das superfícies para aderência (ancoragem) de revestimentos. São mais abrasivas que as esféricas mais igualmente econômicas.

ÓXIDO DE ALUMÍNIO: É um produto altamente abrasivo de grande dureza. É extremamente eficiente para limpeza e ancoragem inclusive para revestimento de alta responsabilidade como aplicação de metalização ou plasma.

MATERIAS ORGÂNICOS: Cascas de noz ou pêssego ou castanha do Pará, sabugo do milho, ossos do peixe e outros, moídos e classificados, são empregados para limpeza de peças de alta precisão por serem ainda menos abrasivos e de efeito mais suave do que as esferas de vidro. São muito empregadas para desrebarbamento de plásticos quebradiços por não prejudicarem o brilho superficial.

QUATZO: É um material de grande pureza e mais durável do que a areia, principalmente quando à segurança dos operadores (não provoca a silicose). Uma de suas aplicações bastante comum é para gravação ou decoração de pecas de vidro.

AREIA: Recomenda-se seu emprego apenas em locais a céu aberto onde não há condições de recuperar a reciclar os materiais de jato. É de rápida fragmentação (2 a 3 ciclos apenas) o que a torna anti-econômica se comparada com as granalha de aço por exemplo, quando usadas em ambientes confinados. Provoca a “silicose” nos operadores quando não protegidos por sistemas respiratórios adequados. Seu uso já é proibido em vários países desenvolvidos.

Cada Material para Jateamento tem um comportamento peculicar.
Escolha o mais indicado para a sua aplicação:

Tabela 1

RECOMENDADO
NÃO RECOMENDADO
ACEITÁVEL
USO EVENTUAL
Intensidades: 1- Plásticos / 2- Vidro / 3- Baixa e Média / 4- Média e Alta
Observação: A areia é um materia que oferece sérios riscos à saúde dos operadores ao ponto de seu uso ser proibido em muitos paises.